A palavra saudade; Leia opinião do professor Josa – Portal O Farol

A palavra saudade; Leia opinião do professor Josa

A palavra saudade significa o sentimento melancólico devido ao afastamento de uma pessoa, uma coisa ou um lugar, ou à ausência de experiências prazerosas já vividas. Sentir saudade é algo muito ligado ao ser humano. Existe um mito secular, segundo o qual a palavra ‘saudade’ só existe na língua portuguesa e como tal não tem vocábulos equivalentes em outras línguas, impossibilitando uma correta tradução. Contudo, isso não é verdade. A teoria ganhou renovada popularidade quando a empresa britânica Today Translations promoveu uma listagem das palavras mais difíceis de traduzir adequadamente, com as opiniões de mil tradutores profissionais, onde “saudade” granjeou o sétimo lugar. Pode-se dizer também que saudade é a lembrança de haver gozado em tempos passados, que não voltam mais. A pena de não gozar no presente, ou de só gozar na lembrança; e o desejo e a esperança de no futuro tornar ao estado antigo de felicidade. “Pode-se ter saudades dos tempos bons, mas não se deve fugir ao presente”, diz Montaigne. Para ele, podemos ter saudades das coisas boas, do passado, mas jamais esquecer do nosso presente, esse sim, vale muito. Saudade é uma das palavras mais presentes na poesia de amor da língua portuguesa e também na música popular. “Saudade” descreve a mistura dos sentimentos de perda, falta, distância e amor. Essa palavra tão próxima, tão presente de nós, faz com que relembremos o passado e vivamos no futuro algo que tanto queremos. A saudade não é exclusivo da espécie humana (existe em outras espécies de mamíferos sociais, como os primatas e os cães). Eles também sentem saudade. Consequências da saudade para a saúde: A nível psicológico: – ansiedade, nervosismo, angústia, flutuações do humor; – sensação de frustração, desamparo, insegurança, solidão; – tristeza, anedonia, choro fácil, apatia, falta de iniciativa, depressão, ideação suicida; – insónia; – falta de apetite; – pensamentos obsessivos; – dificuldade de aprendizagem, distração, perda de memória; – isolamento social, absentismo escolar e laboral, abandono escolar; – comportamentos aditivos: álcool, tabaco, drogas lícitas e ilícitas. A nível físico (resultante da somatização do sofrimento psicológico e do efeito prolongado das “hormonas de stress” geradas pelos estímulos – adrenalina, noradrenalina, cortisol, hormona tiroideia, hormona de crescimento, hormona anti-diurética): . fadiga, dores de cabeça, dores no peito; – hipertensão arterial, angina de peito, AVC; – diabetes mellitus tipo 2; – úlceras pépticas, gastrite, duodenite; – colite; – perda de peso; – maior propensão para infecções (herpes, gripe, constipações); – maior propensão para cancro – doenças auto-imunes (lupus, artrite reumatoide); – amenorreia, aborto espontâneo; – impotência sexual; – osteoporose. A saudade resolve-se quando se aceita a perda irremediável de algo ou alguém desaparecido (cumprindo com sucesso todas as etapas do processo de luto), quando se consegue reaver o que foi perdido (regresso a casa, retorno ao trabalho, retomar um amor perdido…) ou quando a própria saudade se vai desvanecendo pouco a pouco, tornando-se numa lembrança suave, sem sofrimento.

Josa, Professor, jornalista, radialista e multimídia.

 

Categorias: Cidades,Colunistas,Destaque,Professor Josa

Em respeito à Legislação Eleitoral, o Portal O Farol não publicará os comentários dos leitores.
O espaço para a interação com o público voltará a ser aberto logo que as eleições de 2018 se encerrem.