Van Gogh é destaque em ‘No Portal da Eternidade’; veja estreias – Portal O Farol

Van Gogh é destaque em ‘No Portal da Eternidade’; veja estreias

Filme traz os últimos anos de vida de Van Gogh, quando o pintor decidiu se mudar para a cidade de Arles, no Sul da França, em 1988

Um homem incompreendido e atormentado. Considerado por muitos, um dos maiores pintores de todos os tempos. Vicent Van Gogh, que morreu em 1890, aos 37 anos, ainda desperta curiosidade até hoje. Seja por suas obras encantadoras ou por sua vida conturbada. E sua história vira mais uma vez filme. Desta vez, com “No Portal da Eternidade”, que estréia nesta quinta (14) nos cinemas. 

O filme traz os últimos anos de vida de Van Gogh, quando o pintor decidiu se mudar para a cidade de Arles, no Sul da França, em 1988. No local, o pintor entra em uma das fases mais conturbadas da carreira.

Quem dá vida ao pintor é o ator norte-americano Willem Defoe. A atuação dele é um destaque a parte e o rendeu o prêmio de melhor ator no Festival de Veneza e a nomeação para o Oscar e o Globo de Ouro. Para o crítico Renato Furtado, do site Adoro Cinema, a atuação de Defoe “é de pura maestria”.

“Ao passo em que a montagem ocasionalmente dá um passo atrás, nos arrancando da contemplação da beleza do mundo para nos lançar novamente em meio ao turbilhão da realidade, é Dafoe — que aprendeu a pintar como van Gogh — o fio condutor da narrativa. São seus olhares perdidos e sorrisos ternos que traduzem o desespero e as alegrias de um homem cuja vida é perturbada por demônios internos”, escreveu.

Defoe é o segundo ator a ser nomeado ao Oscar para o prêmio de Melhor Ator por interpretar Van Gogh. O primeiro havia sido Kirk Douglas, por ‘Sede de Viver’, em 1956.

Em entrevista ao jornal britânico ‘The Guardian’, Dafoe afirmou conhecer uma nova faceta do polêmico pintor holandês.

“Uma das coisas que mudou para mim ao fazer este filme foi a parte alegre dele que não vemos. Ele geralmente é retratado como o garoto propaganda dos artistas atormentados, mas eu definitivamente diria que ele é um personagem esperançoso”, disse.

O diretor do filme é o também norte-americano Julian Schnabel,que também dirigiu o renomado ‘O Escafandro e a Borboleta’. Curiosamente, ele também é um pintor. Para o crítico Aléxis Perri, do Observatório do Cinema, Schnabel foi “capaz de exprimir uma ótica clara do pintor van Gogh, e ainda o fez com inventividade e delicadeza”.

“Com a câmera, Schnabel “abusa” dos close-ups, praticamente com todo o seu elenco, o que já mostra boa percepção do autor em cima do texto para o filme, de modo que o Vincent van Gogh de Schnabel é a versão mais sofredora e desolada na solidão do grande pintor”, analisou.

O filme ainda traz no elenco os atores Rupert Friend, interpretando Theo Van Gogh, irmão do pintor; Oscar Isaac, como Paul Gauguin, pintor e amigo de Van Gogh e Mathieu Almaric, como Dr. Paul Gachet, médico do pintor holandês, homenageado em uma de suas obras.

Sobre Van Gogh

Van Gogh nasceu em março de 1853 na vila Brabante de Zundert, no sul da Holanda. Morreu aos 37 anos é em 1890. Filho de uma família com cinco irmãos, Vicent teve um deles (Theo) como o grande amigo em toda a vida.

Vida e carreira dele foram conturbadas e marcadas por problemas, principalmente relacionados à saúde mental. Até hoje, não se sabe ao certo quais enfermidades Van Gogh tinha.

A carreira dele como pintor começou apenas aos 27 anos, mas apesar do curto período, ele produziu mais de 900 obras. Porém, o trabalho e talento não foram reconhecidos em vida. Van Gogh só vendeu um quadro enquanto estava vivo: o The Red Vineyard (‘Vinhedo Vermelho’). A obra foi vendida pouco tempo antes da morte pelo valor de 400 francos. Um século depois, a obra mais cara foi vendida pelo preço de US$ 148,6 milhões.

Um dos quadros mais famosos, o ‘Noite Estrelada’, teria sido pintado enquanto Van Gogh estava internado em um manicômio na cidade de Saint-Remy-de-Provence, na França, em 1988. Hoje, o quadro faz parte da exposição permanente Metropolitan Museum of Art (MET) de Nova York.

Categorias: Mundo